Voltando as origens ::17/09/2012::

Deus está fazendo algo novo, ou melhor, Deus está resgatando algo perdido, Ele está trazendo de volta o nível de relacionamento e poder que a igreja primitiva tinha, mas infelizmente se perdeu com o passar de séculos de sincretismo religioso.

Estamos neste momento na fronteira entre o velho e o novo; o último avivamento que experimentamos, todo o mover de adoração e intimidade foi a preparação para o momento que estamos entrando, o momento em que Deus quer que andemos com Ele em espírito, isso era tudo que a igreja primitiva tinha para conhecer a Deus: oração e relacionamento.

 Eles não tinham Bíblias como temos hoje, com todos os livros sagrados reunidos para nossa edificação, eles só podiam contar com uma coisa: suas experiências com Deus. Tudo que lemos na Bíblia são experiências de homens comuns que buscavam conhecer seu criador, e que foram registradas para alicerçar nossa fé em Cristo. O grande problema que temos hoje se chama acomodação, tudo o que dispomos hoje são uma benção, todos os livros, DVDs, estudos, e todo o restante são tremendos, mas nos deixaram preguiçosos; não precisamos mais perguntar a Deus alguma coisa referente a Ele, pois basta uma pesquisa rápida na internet e temos uma resposta.
  • “estive em espírito no dia do Senhor e ouvi atrás de mim grande voz como de trombeta” – Apocalipse 1:10 (do grego)

“Estive em espírito”, este era o dia-a-dia dos apóstolos, andar no sobrenatural de Deus, conhecendo a Deus na Sua plenitude e glória, é um nível de relacionamento assim que nosso Pai quer, dividir sua glória com a gente mais uma vez, digo mais uma vez, pois Ele expressou este desejo no capítulo 17 do evangelho segundo João: “E eu a glória a qual deste a mim dei a eles, para que sejam um como nós somos um” (do grego) – Uau! Que tremendo! Os apóstolos receberam a glória de Jesus, eram um com Ele como Ele era um com o Pai, e é essa comunhão que o Senhor quer trazer de volta para mim e para você.

Mas o objetivo desta palavra não é falar do que está por vir, eu quero falar de onde estamos, da transição. Este é um ponto de decisão, aqui você tem que escolher se vai: morrer no velho; se perder na transição; ou romper para o novo. Vamos analisar o ministério de João Batista, o cara escolhido por Deus para preparar o caminho do Senhor.
  • “E percorreu toda a terra ao redor do Jordão, pregando o batismo de arrependimento, para o perdão dos pecados; Segundo o que está escrito no livro das palavras do profeta Isaías, que diz: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; Endireitai as suas veredas. Todo o vale se encherá, E se abaixará todo o monte e outeiro; E o que é tortuoso se endireitará, E os caminhos escabrosos se aplanarão; E toda a carne verá a salvação de Deus.” – Lucas 3: 3-6
 O mover de Deus através de João Batista foi a transição do velho (o Judaísmo), para o novo (Jesus Cristo). O ministério de João acabou quando este batizou Jesus, neste momento o ministério de Jesus começa, e o novo chega. Mas algo assustador aconteceu, João é o maior profeta que já existiu, maior até que Jesus, segundo o próprio Jesus:
  • “E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João o Batista; mas o menor no reino de Deus é maior do que ele.” - Lucas 7:28
João viu o Espírito Santo descendo sobre Jesus, ouviu a voz do Senhor e testificou que Jesus era o Filho de Deus, e mesmo assim João não seguiu a Jesus, apenas dois de seus discípulos seguiram o Messias;

João ficou preso na transição, ele continuou preparando o caminho para a chegada do Senhor, mesmo depois do Senhor ter chegado. João não conseguiu romper para o novo tempo, ele não conseguiu se adequar a mudança, isso porque a mudança mexe com algumas coisas. A mudança abala estruturas. João já estava estabelecido como profeta, multidões iam ter com ele para serem batizadas. No velho tempo João era o top, no velho João era o mestre, no velho João era o líder; no novo tempo Jesus é o top, no novo João iria ser o discípulo, no novo João iria ser o liderado. A cada novo mover, Deus levanta um novo pelotão de frente, homens e mulheres, através dos quais o novo será implantado, e isso é desconfortável para quem já tem uma posição de destaque, como João, que teria que deixar de ensinar para aprender tudo de novo. 

Não romper para o novo de Deus é perigoso, pois com a chegada do novo, o velho começa a não ser usado mais. João não seguiu a Cristo, continuou fazendo o que não era mais necessário e acabou preso e, ainda mais assustador, João perdeu a fé:
  • “E João, chamando dois dos seus discípulos, enviou-os a Jesus, dizendo: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E, quando aqueles homens chegaram junto dele, disseram: João o Batista enviou-nos a perguntar-te: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro?” – Lucas 7: 19-20
João Batista, o cara que olhou para Jesus e disse: “Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, por não abandonar o velho, não pôde acompanhar o que acontecia no novo, e já não tinha tanta certeza de que Jesus era o Cristo. Por fim a decisão errada de João, a decisão de permanecer no velho o levou a morte; fazendo uma leitura profética do texto, se não rompermos para o novo de Deus vamos acabar incrédulos e mortos espiritualmente.

Ore ao Senhor acerca deste novo tempo, seja sensível ao Espírito Santo, fique atento a Sua voz “Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.” – Amós 3:7

Graça e Paz
André Alves