O tempo de cantar chega - Capítulo 3: Livre para ser feliz


3. Livre para ser feliz
Qual o lírio entre os espinhos, tal é meu amor entre as filhas. (Cânticos 2:2)

O livro do Cântico dos Cânticos é um livro ousado por falar do amor, do corpo, do sexo, do erotismo, e curiosamente está entre os livros que falam de sabedoria. Nossa cultura trata o sexo de maneira tão profana que quase esquecemos que sexo é bênção de Deus para o casamento.

Muitas vezes abstraímos e fazemos apenas a leitura alegórica do livro como se o autor estivesse falando apenas de Cristo e sua Igreja.  Imagine a importância deste livro numa sociedade onde a mulher não tinha valor, nem voz, nem direitos. Cânticos mostra a figura de uma mulher ousada, porta-voz de si mesma, sem mediações. Uma mulher que deseja ser feliz, que deseja ser amada e não esconde isso.

Por volta de 400 a.C., sob domínio persa, foi escrito o livro. Era o período pós-exílico: o povo havia voltado da Babilônia e se reestruturado quanto à religião e aos costumes, mas não gozava de independência política e econômica.

Ao voltar do exílio, a liderança nacional dos judeus ficou nas mãos dos sacerdotes que regulavam a vida do povo através de leis bastante rígidas.

Foi neste contexto que surgiu o Livro de Cântico dos Cânticos: um poema à beleza do corpo (do homem e da mulher), um canto de amor livre da rigidez, da discriminação da opressão da Lei da Pureza e pleno da vivência humana. Uma vivência tão profunda e tão intensa que é capaz de levar à experiência com o próprio Deus, experiência a qual muitos eram excluídos por causa do legalismo da religião.

O legalismo, ou a religiosidade é algo que nos afasta de Deus. A palavra “religião” significa “religare”, ou seja, religar o homem a Deus. Mas não é a religiosidade que aproxima o homem de Deus, é o Verbo. E o Verbo é Jesus.

Quão próximo de Jesus você está? Ele faz parte do seu dia a dia? Mesmo? Ele é o Senhor de sua vida? Vou fazer umas perguntas a você para que você se examine.

Como é seu relacionamento com Jesus? Você pode dizer que é amigo Dele? Amigo íntimo, ou o conhece só de ouvir falar? Jesus considera íntimos aqueles que o obedecem. Você obedece ao Senhor ou sequer sabe a vontade Dele? Muitas pessoas se escondem atrás de uma folha de figueira para se esconderem de Jesus. Não querem perguntar qual a vontade Dele para suas vidas porque acham que Deus irá lançar uma lista de “não podes” e “não deves”, quando Ele apenas diz: “Dê-me seu amor”. Não querem se aproximar Dele porque sabem que, sendo o Médico dos Médicos, ele vai tocar em suas mazelas então preferem viver lambendo as feridas do que permitir que a cura venha. Feridas doem, é verdade, mas se Jesus lhe apresenta a cura, permanecer doente é opção. Quando vamos a um consultório médico, precisamos expor as feridas a ele. Precisamos dizer claramente e com riqueza de detalhes onde, como e o quanto dói, a fim de que o médico faça um diagnóstico e apresente a cura. Ás vezes entre a consulta e a cura precisaremos passar por baterias quase intermináveis de exames porque há doenças que se escondem por trás de sintomas. Emocionalmente é a mesma coisa. Por trás de uma depressão pode haver falta de perdão, por trás de uma ira pode haver inveja, e por trás do quase louvável medo de se apresentar diante de Deus Santo sendo pecador pode estar simplesmente a teimosia mascarando um coração obstinado.Não há melhor maneira de fugir às responsabilidades do que dizer: "tenho responsabilidades". Seja lá qual for o caso, há perdão, amor e cura disponível para você. Mas Jesus não vai empurrar o remédio pela sua goela abaixo.

Algumas coisas que gostamos de fazer parecem boas, mas não são. Jesus vai te dando compreensão e te ensinando a discernir o que é santo do que é profano, mas isto leva tempo. E é preciso passar tempo com uma pessoa para conhecê-la. E este é um ponto fatal: as pessoas não querem gastar tempo com Deus. Mas se não o fizerem, como saberão Sua vontade? As pessoas querem ter experiência com Deus de maneira instantânea: um missionário impõe as mãos na cabeça e a pessoa cai no chão. Isso é experiência com Deus? Não. Sinto muito. Isto é experiência com o poder de Deus, mas não com sua pessoa. 

Uma experiência com o poder de Deus muda sua vida, mas uma experiência com a pessoa de Deus muda você. O apóstolo Paulo era fariseu, acostumado a ouvir a palavra de Deus na sinagoga. Um dia teve um encontro com a pessoa de Deus. Viu uma luz no céu e ouviu uma voz: “Eu sou Cristo, a quem tu persegues”. Caiu do cavalo, literalmente. Se antes era movido pelo ódio e pela intolerância, passou a ser movido por amor e escreveu um dos mais belos poemas de amor, registrado em I Coríntios 13.

Se você ainda não caiu do cavalo, ainda não conhece a pessoa de Deus, nem a alegria que emana Dele.