"Querer e realizar" - culto domingo 18/OUT/2015

+NinhodasaguiasOrgem Google+
Receba nossas postagens em seu email:


Delivered by FeedBurner

"Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço." - Romanos 7:18-19

O BEM QUE QUERO x O MAL QUE NÃO QUERO

Em minha opinião estes versos são uns dos mais bonitos da Bíblia. Aqui Paulo abre o coração, e em uma sinceridade tremenda reconhece sua fragilidade humana, em não conseguir evitar o mal sempre. O mesmo cara que tem coragem de dizer: "me imitem, pois eu imito a Cristo", também assume que não é perfeito. 

"...o mal que não quero esse faço."- o que é esse mal? Seria o pecado como é definido pela religião? Uma lista de proibições que devemos evitar? Sim e não. Definir o "mal" na qualidade de pecado não é tão simples se você observa a definição de Paulo, para o pecado. Paulo dá uma definição de pecado bem interessante neste mesmo livro, no capítulo 14, onde ele diz que TUDO que não é feito por fé é pecado. "Tudo" é muita coisa, não? Com isso, até o que parece "BEM" se torna mal, se não for feito por fé. Há pessoas que pecam até em fazer a obra do Senhor, simplesmente por que não a fazem por fé. Fazem por obrigação ou porque acham que é a coisa certa a se fazer. Fazer algo por fé é ter, em nosso interior, uma certeza improvável e inexplicável de que Deus nos pediu determinada coisa.

Da mesma maneira o "BEM" que Paulo fala não é qualquer coisa, ele não fala de qualquer desejo bom. Qualquer vontade altruísta de sua alma. A luta entre bem e mal descrita pelo apóstolo, é a nossa luta diária: a carne contra o espírito, ou melhor, a inclinação para a carne, contra a inclinação para o espírito. O bem que Paulo descreve como dificuldade em realizar, é a inclinação para o espírito. E por que é difícil este posicionamento? O problema tem início em nosso querer.

"Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." - Filipenses 2:13

Precisamos sempre alinhar nosso querer com a vontade de quem opera isso em nós, então Deus vai operar o efetuar, Ele não vai operar em nós a capacidade de realizar coisas que nos afastam dEle, já sabemos fazer isso sozinhos. Nos inclinamos para a carne com facilidade, realizamos várias coisas sem fé, o que é pecado, e o pecado nos afasta do Pai.

Eventualmente dividimos este versículo de Filipenses em dois. Nós mesmos "operamos o querer" em nós, e pedimos a Deus para "operar o efetuar", no fim das contas pedimos a Deus que nos abençoe para realizar nossa própria vontade, usamos Ele como um "amuleto de sorte" para conseguir fazer o que queremos... Fazemos isso o tempo todo: quando entramos em um relacionamento amoroso por nossa conta e risco, e pedimos a bênção do Criador; quando aceitamos um trabalho sem saber se Deus o aprova, e pedimos que nosso Pai nos prospere; quando saímos de viagem sem saber a vontade de Deus antes de comprar as passagens, e pedimos que vá tudo bem... Operamos o nosso querer contando que Deus opere o realizar, e como eu disse, Ele não nos ajuda a ir pra longe da sua presença, e então nos vemos envolvidos em relacionamentos doentes, trabalhos desonestos, viagens que terminam em acidentes. Acabamos dependendo da sorte de ser bem sucedido ou não.

-Mas Deus quer que sejamos maduros pra tomar nossas próprias decisões, André.

Concordo, mas maturidade pressupõe sabedoria, e o temor do Senhor é o princípio da sabedoria. O Senhor nos chama hoje a um arrependimento sincero, a reconhecer nossa inclinação errada, nossa falta de fé; e feito isso, pedir que Ele opere em nós o SEU querer, e então teremos o SEU efetuar.

Graça e paz
André Alves