Palavra profética: O Brasil está debaixo de juízo.


+NinhodasaguiasOrgem Google+

"Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama." (Jeremias 38:6)

O capítulo 38 de Jeremias é fantástico. O povo tinha duas opções: se tornar súdito da Babilônia e evitar a invasão, servindo como vassalos ou tentar manter a independência aliando-se ao Egito para combater os caldeus (babilônicos). Jeremias defendia que o povo devia se submeter á Babilônia. Não era uma opinião política, era entendimento profético. Em Jeremias 2:13, está escrito: "Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas." Aquela situação era juízo do Senhor. O povo virou as costas para Deus, "cavou" a cisterna de lama.
Oque é cisterna? É um poço, uma fonte de água. O povo cavou uma situação que provocou a ira de Deus. O rei, desorientado, atendeu aos apelos do povo para jogar Jeremias na cisterna. E aí vemos Jeremias caindo numa cisterna que não cavou, pelo "crime" de exercer seu ministério profético. O rei deveria recebê-lo como boca de Deus, mas não o fez. O resultado? No capítulo 39, o rei Zedequias é levado preso, vê seus filhos serem assassinados, todos os príncipes de Judá e toda a corte, e ainda tem os olhos vazados antes de ser levado cativo para a Babilônia. Se tivesse seguido o conselho de Jeremias, tudo isso teria sido evitado.
Vemos um eunuco etíope, uma pessoa improvável, para dar livramento a Jeremias na cisterna. É isso oque deus faz com seus servos: levanta pessoas improváveis para os tirar de cisternas que eles não cavaram, porque os servos de Deus não cavam cisternas rotas, mas se saciam na única fonte real de águas vivas, Jesus. Se te lançarem numa cisterna, e você for servo de Deus, o socorro virá de onde você nem imagina.

Mas em 07 de janeiro de 2014 eu postei esta arte profética, uma visão de um mar de lama saindo de Brasília. Quando Deus mostrou, eu pensei: "mais?" E Deus disse: "não é esse tipo de lama que você está acostumada a ver saindo de Brasília". Postei a foto com a seguinte legenda: "Você acha que já viu o máximo de sujeira jorrando de Brasília? Não, não, ainda nem começou. Agora é Deus quem vai fazer a faxina. Ore."

Bem, no dia 5 de novembro agora tivemos a tragédia em Mariana, MG. As barragens Fundão e Santarém da Samarco, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP, se romperam, despejando 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério e água. O distrito de Bento Rodrigues foi destruído e centenas de pessoas ficaram desabrigadas. A lama alcançou outros distritos de Mariana, como Águas Claras, Ponte do Gama, Paracatu e Pedras, além da cidade de Barra Longa. Os rejeitos no Rio Doce afetaram dezenas de cidades na Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo.

Eu creio que era sobre esta tragédia que se tratava a visão. A cisterna rota em que Jeremias foi lançado hoje é Mariana. Temos em cena um Zedequias, uma autoridade arrogante e prepotente que atira o profeta na lama para a morte. Temos autoridades com sangue nas mãos. Deus está usando seus profetas para alertar o povo de que a invasão virá do Norte (leia aqui). O juízo vem! Nabucodonosor, o rei estrangeiro, se levantará e dominará o Brasil. Quando chegar este tempo, muitos irão pras ruas fazer campanhas contra a invasão estrangeira. Mas, assim como Jeremias, nós não nos calaremos: submeta-se a invasão estrangeira, Zedequias. Você cavou a cisterna, agora suporte o juízo de Deus!




À presidente Dilma, entregamos a palavra do Senhor:

MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM
Pesada foste na balança, e foste achada em falta. 
Contou Deus o teu reino, e o acabou. 

O Espírito de loucura agora agirá livremente sobre você. Você fará cada vez menos aparições públicas por causa da sua loucura. Acabou o teu governo. O Brasil está sob juízo de Deus.

Ao povo de Deus:
Alinhem-se com o Senhor até dezembro de 2015. 2016 é ano da justiça do Senhor. É ano de juízo, e Deus entregará os homens a suas próprias paixões como forma de juízo. Portanto, em 2016 a mão do homem estará em sua máxima potência para que aflore toda soberba e atuem sem freios e mostrem toda sua veia satânica dizendo que "não há Deus", pensando ser o "ano dos canalhas" pois tudo que fizerem prosperará. Então, quando o homem estiver no ápice, no cume mais alto da montanha, Deus os abaterá como um raio. Os servos do Senhor, porém estarão guardados e para estes, será um tempo de justiça, juízo e jubileu.

Em Cristo, com temor e tremor,
Lya Alves