Alerta profético: o espírito da fome chegou!



+NinhodasaguiasOrgem Google+

Em 15 de novembro de 2015 publicamos o post com a palavra profética: "O Brasil está debaixo de juízo". Em 15 de outubro publicamos o post:"10 conselhos proféticos para 2016". No último domingo durante o culto tive uma visão sobre algo que já tinha profetizado nos 10 conselhos. Um deles falava sobre a fome.

Ah, antes de começar, quero fazer um rápido convite ao leitor: Ajude a manter este ministério de profetas e missionários comprando nossos livros, histórias em quadrinhos e CD's. Visite nossa loja e faça suas compras online, ou faça sua oferta através do pag Seguro. E, claro, receba nossas postagens com palavras proféticas assinando gratuitamente nossas newsletter aqui ao lado>>>>>>>>>>>>>>>> 

Estamos numa sociedade hedonista, que vive para seus prazeres, uma sociedade dividida, com uma juventude corrompida e excesso de liberdade sexual, com pais ausentes e covardes, uma sociedade onde o povo não tem confiança em seus líderes, onde o governo não tem crédito com seu povo e ainda esbanja dinheiro público, o país é desacreditado no exterior e a população é refém do medo e da crise financeira, que piora a cada dia. Enfim, esse é o Brasil de 2016.

Nós profetizamos que isto aconteceria já faz tempo. mas hoje queremos alertar sobre o perigo que está aí fora: a fome, aquele vazio causado pela ausência de Deus. Na visão do último domingo, eu vi uma pessoa montada num cavalo preto, e tinha o rosto de uma caveira. E Deus dizia que aquela criatura era a fome. Na visão, ela saía na Marquês de Sapucaí, durante o carnaval. oque significa isso? Apenas uma marcação de tempo. Significa que a fome personificada chegou aqui durante o carnaval, que era uma data ótima pra chegar sem ser notada. No carnaval, as pessoas agem como se não houvesse amanhã: bebidas, drogas, violência e prostituição em larga escala. As pessoas pareciam não notar quantos acidentes de carro e quantas mortes e assassinatos houveram neste carnaval, tudo porque estavam drogadas. Umas pela bebida, outras pelas drogas, outras pelo sexo, mas todas consumindo e se alimentando loucamente. No carnaval isso passa quase despercebido, mas após o carnaval, essa fome continua. Mas como o "alimento" para essa fome é algo que vicia e produz mais fome, a pessoa passará a se alimentar com mais intensidade, e de outras fontes: o consumo, o comércio, a violência, o excesso de trabalho, jogos, atenção, relacionamentos tóxicos ou outros tipos de coisas que promovem dependeência. Já temos uma sociedade idiotizada, mas agora teremos uma sociedade totalmente dopada e entregue aos seus prazeres. Bem, o inferno não produz nada que alimente de verdade. Certamente a função da "Fome" é provocar dependência para o momento oportuno da crise de abstinência. Oque vai acontecer com uma população neste estado?




Você, cristão, não precisa passar por esta Fome. Você é livre para depender única e exclusivamente de Deus. Não há nada nesta terra que se compare a Deus, portanto, busque as coisas que são "do alto", onde Cristo está. Este espírito do mal atua por causa da ausência de Deus, por causa da ausência de justiça e santidade. Mas você tem Cristo, aquele que é o "Pão da vida". Alimente-se Dele. Envolva-se em projetos que gerem uma demanda de justiça: ações missionárias, evangelismo, causas sociais, oração, intercessão, etc. Envolva-se com tudo que faça com que você precise ser cheio de Deus para executar. Deus nunca alimentará sua carnalidade, mas se você quiser se encher de amor ágape, da graça e da justiça,  você estará realmente alimentado e não terá espaço para influência da Fome.

"E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede."
João 6:35

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;"
Mateus 5:6

Alimente-se de Cristo e "o Senhor estenderá o cetro de teu poder desde Sião, e dominarás sobre os teus inimigos!" (Salmos 110:2)

Em Cristo,
Lya Alves.

Leia mais Palavras Proféticas.
Compre o Livro: "Babilônia, a prostituta sagrada", de Lya Alves