Bem aventurados os que choram. Ninho/ICARAÍ [03/FEV/2016]


+NinhodasaguiasOrgem Google+

Esta é a terceira pregação da série de pregações sobre o sermão da Montanha. O sermão da montanha sintetiza os pensamentos mais profundos de Jesus sobre ser um cidadão do reino, sobre caráter cristão e espiritualidade. Por isso estamos dedicando nosso tempo a este estudo. Hoje vamos falar sobre Mateus 5:4, e sobre uma característica natural no cristão: a sensibilidade.

"Bem- aventurados os que choram, porque serão consolados."
Mateus 5:4

Para bem compreender o texto, é necessário ver as três primeiras bem-aventuranças à luz de um oráculo messiânico que o próprio Cristo dirá realizado na sua pessoa. Trata-se de Isaías 61, 1-2:

“O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros, para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que andam tristes"
Isaías 61:1,2

Por que Jesus mencionou o choro e por que choramos? Basicamente, o choro tem três motivos: pra umedecer os olhos, pra limpar um cisco e por algum estado emocional. Acredita-se que o choro tenha surgido antes da linguagem verbal, com a função de comunicar dor. Os bebês sabem comunicar suas necessidades através do choro. Mesmo quando uma pessoa chora sozinha ela está se comunicando. Alguns dizem que é uma atitude de submissão porque indica fragilidade. Então o choro é uma forma de comunicação. Jesus chorou. Pedro chorou de arrependimento por seu pecado.  Uma mulher chamada Maria ungiu Jesus e lavou os seus pés com suas lágrimas.

Então, que significa "Bem-aventurados os que choram"? Uma característica essencial do cristão é ter sensibilidade ao pecado. Por isso, muitas vezes, quando estamos diante da face de Deus, choramos por nossos pecados, somos sensíveis. Pessoas frias, apáticas, indiferentes não choram. Psicopatas não tem sensibilidade. Um psicopata sabe o momento correto de chorar e pode até fingir um choro porque percebe que é socialmente desejável, mas não tem empatia. Chora quem está vivo. Por isso Jesus não disse: "bem aventurados os que choram, porque não vão chorar mais", ele disse apenas que seríamos consolados. Na verdade, Jesus disse "no mundo tereis aflições", Ele não poderia entrar em contradição dizendo que não teríamos sofrimentos nem choro. Oque ele nos aconselhou foi "tende bom ânimo, eu venci o mundo". Apenas após o julgamento final cessará o choro e Deus "secará de nossos olhos todas as lágrimas", conforme o descrito em Apocalipse.

Nas congregações mundo afora, quando se faz uma pregação de confronto ao pecado, na hora do apelo, geralmente quem vem a frente são os mais dedicados, os mais envolvidos na obra, os que estão mais firmes na fé. Por que isso? Porque estão mais sensíveis, ao contrário de quem fica "lá atrás", brincando com celular, e com outras atitudes de irreverência. Quem não é submisso diante de Deus ou está a fim de continuar no pecado, ou não tem sensibilidade nenhuma. Podemos ficar entorpecidos pelo pecado, e ocasionalmente frios, por isso Deus utiliza eventualmente meios extraordinários de nos tirar do entorpecimento. Precisamos lembrar que "bem aventurados são os que choram".

Quando foi a última vez que você chorou pelo seu pecado? Não precisa ser algo grande. Não dar um beijo de despedida pode ser um pecado. Tratar alguém com frieza pode ser pecado. Você não tem que ser grande, lembra? Seus pecados não tem que ser grandes também. Quando foi a última vez que você se quebrantou? Que você chorou não mais por seus pecados, mas pela beleza da santidade de Deus? Só tem duas razões para você não estar chorando: ou você é perfeito, ou está entorpecido pelo pecado.

Quando você vem pra Jesus, você tem uma revelação do seu pecado. Você passa a enxergar Cristo de outra forma, e consequentemente, passa a enxergar seus pecados de outra forma também. Por que você não pira? Porque você tem uma visão da graça de Deus. Você tem uma visão de Cristo, sua cidade-refúgio. Quando você anda com Deus, se você está realmente convertido, você cada vez mais se sente pecador. Quanto mais perto de Deus você está, mais você tem a sensação que Isaías descreve: "Ai de mim, Senhor, porque sou um homem impuro!" - mas se uma pessoa não está convertida, ou está numa fase ainda muito imatura da vida em Cristo, ela se sente muito santa. Para um recém convertido, isso é normal. Ele se sente muito santo em comparação a vida que ele antes levava. Mas, passada essa fase inicial, Deus começa a operar nele a morte, para que ele possa ir morrendo para si mesmo, até que Deus possa fluir Nele. E quanto mais sensível ao pecado você está, mais você se lamenta por coisas pequenas. é como estar com uma roupa branca debaixo de uma luz forte: qualquer sujeirinha aparece e incomoda. E você não vai pirar como Judas que se enforcou porque se arrependeu, porque você conhece a Graça de Deus. Você tem uma cidade-refúgio.

Você pensa no seu pecado e não pira porque você já foi julgado. E você era culpado. Mas quando o juiz ia bater o martelo, o seu advogado se levantou e disse: Eu levo as culpas dele! Põe na minha conta. Eu vou pagar a pena no lugar dele! Como não amar um Deus assim? Isso é a Graça! Nasci pecador! E agora? Fui salvo! Oque eu fiz pra merecer? Nada! E oque você faz pra manter a salvação? Nada! Não tenho que manter oque não fiz nada pra conquistar. Mas... Posso jogar fora esse amor? Pode.




Mas, enfim, o capítulo 5 fala sobre a mensagem de esperança! Portadoras de uma mensagem teológica e cristológica, ensinamento que pede uma transformação de nosso modo de pensar e agir, as bem-aventuranças são primeiramente uma proclamação da felicidade. Sim, uma proclamação da felicidade, e não só promessa da felicidade. As bem-aventuranças declaram felizes aqueles dos quais elas falam. Os que choram são felizes; eles o são efetivamente no momento em que isto lhes é anunciado. O máximo que eles podem fazer é tomar conhecimento disso. As bem-aventuranças não são uma promessa, nem um desejo, mas uma fórmula de felicitação. Poderíamos ler: Parabéns para você que hoje chora, porque será consolado! Apoiada em uma promessa, a religião das bem-aventuranças é uma religião de esperança.  No entanto, há uma promessa futura, e seu tempo presente hoje carrega essa promessa futura. O cristão precisa entender que ele está no presente, mas também na eternidade. Por isso, semana passada falamos sobre "buscar as coisas do céu",sobre "orar ao Pai que está no céu", esta expressão "do céu" tem a ver com a eternidade.

Os sofrimentos do momento presente são precisamente os pontos de onde jorra a alegre esperança que transforma ou transfigura a existência do crente. Seu momento de sofrimento é seu monte de transfiguração. Se você está chorando, será consolado; se está sofrendo, será transformado. De fogo em fogo, de glória em glória.

"Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor."
2 Coríntios 3:18

O mundo nos ensina a encobrir nossas fraquezas. Livros de auto ajuda nos ensinam a fingir que somos fortes. Jesus, porém, disse: bem aventurados os que choram.  Não tenha medo de mostrar sua tristeza, sua fragilidade. Não cubra seu rosto, não encubra seus sofrimentos, é com rosto descoberto que refletimos a glória do Senhor. é com rosto descoberto que somos transformados.
Descubra o seu rosto diante de Deus e seja transformado.

Em Cristo,
Lya Alves

(Esboço do sermão pregado em 03/02/2016)
(Veja a primeira palavra da série sobre o sermão da montanha clicando aqui)
(Veja a segunda palavra da série sobre o sermão da montanha clicando aqui)