Slackline de Cristo - Ninho/ZULU [08/MAR/2016]

+NinhodasaguiasOrgem Google+
"O caminho do culpado é tortuoso, mas a conduta do inocente é reta."
Provérbios 21:8

Ontem à noite eu estava meditando sobre retidão, sobre como é difícil se manter impecável, é uma luta ferrenha. A Bíblia fala que a carne briga com o Espírito o tempo todo, se tem a ideia de que são dois indivíduos lutando, mas a impressão que eu tenho é de que fica o exército da carne de um lado e o exército do Espírito do outro, se digladiando, se batendo, se esforçando pra puxar nossa alma pro seu lado. Ficamos nesse meio aí.

Como lemos em provérbios a conduta do inocente é reta, e esse é o segredo pra retidão, a inocência, quando nos mantemos inocente diante das coisas, a retidão se torna natural, uma prática natural, não temos que ficar com rodeios pra esconder a culpa, podemos ser retos. Eu sempre falo que quando Jesus disse que é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida [Mateus 7:14] eu penso que o caminho vai apertando até ficar estreito como a porta. Por que nós viemos cheio de bagagem, problemas pra resolver, vícios pra curar e Ele nos aceita assim mesmo, e à medida que andamos, vamos nos livrando dessas coisas. Nós vamos até que o caminho aperta muito, ficamos como quem está numa corda bamba, andando se equilibrando pra não cair, com medo de cair; o que é muito natural, saímos de uma prática de vida totalmente diferente do que é santo, pra começar a ser santificados pelo Espírito Santo, é normal ficar tenso diante de algumas situações que mexem conosco ainda, mas é só por um tempo.

Com mais maturidade perdemos o medo de cair, aprendemos a andar na corda bamba, até gostamos. A retidão, é mais divertida, mais simples. Uma espécie de slackline como estilo de vida. É interessante, o slackline é um esporte simples, uma corda entre dois pontos, mas muito desafiador, aliás esse é o objetivo da brincadeira, se superar a cada tentativa, se equilibrar por mais tempo a cada vez, é claro que sempre caem, mas se manter de pé é o objetivo, então se levantam, sacodem a areia do pé, pra não escorregar de novo, e vão tentar ficar mais tempo dessa vez… Nossa caminhada com Cristo é da mesma forma; em nosso “slackline espiritual” temos o desafio de superar nossos limites a cada nova tentativa de permanecer de pé, santo e reto. Até que alguma coisa interna ou externa, nos tira do eixo, e caímos, e nos sujamos de areia, às vezes ralamos um pouco em algum lugar, e é nessa hora que precisamos da mesma motivação de quem pratica o slackline, se manter de pé na “fita estreita” é o objetivo. Quando pecamos, e  nos esborrachamos no chão, precisamos ter fé pra crer no perdão e na graça maravilhosa de Deus, e ter a ousadia de chegar diante dEle e falar: “perdão, Pai. Me ajuda a subir na corda de novo? Vou tentar ficar mais tempo dessa vez.”

A medida que se anda no slackline, o praticante ganha confiança, e começa a arriscar manobras mais arrojadas, mais desafiadoras, e claro, vai cair, mas não desiste até conseguir realizar a manobra e permanecer de pé, e evoluir pro próximo movimento. Como precisamos desse entendimento diante das circunstâncias que se apresentam em nossa vida. Nos ajude, Senhor.

Andar no caminho estreito é um desafio que precisa ser encarado como motivação; uma forma de vencer nossas próprias limitações carnais a cada dia. Se você ainda não entende a simplicidade que tem uma vida reta, talvez te falte maturidade, e um dia você vai perceber isso, você vai perceber que uma vida de retidão é melhor, mais gratificante, até lá, pratique o seu “slackline espiritual” e tente se superar a cada dia, mesmo que você ainda goste de se jogar na areia, de vez em quando, pulando de cima da fita estreita de propósito, por que acha que é bom e divertido se ralar um pouco na areia; só faz isso quem ainda não entendeu as regras do jogo, a ideia é não cair do caminho estreito… O cair deve permanecer na condição de acidente.


Que o Espírito Santo ministre o nosso coração, e nos mostre como é gratificante superar limites cada vez maiores em nós mesmos; e que ele nos ensine as “técnicas pra nos manter de pé” no caminho estreito. Não sei vocês mas eu preciso melhorar meus movimentos ainda.

Buscando um alinhamento mais refinado,
Missionário André Alves